Como os outros nos enxergam

Num bate-papo com a consultora de imagem pessoal Dália Castanheira, o assunto foi “imagem percebida e imagem projetada, como as pessoas nos enxergam”. Você sabia que a sua imagem no espelho pode não ser a mesma imagem que as pessoas vão interpretar de você?

É isso mesmo! Leia o post! 

Blog da Iara: Quando a gente olha para uma pessoa cria um preconceito. Essa mensagem parte do cérebro?

Dália: Exatamente! E a ciência explica. De forma resumida, o cérebro humano julga, analisa e tira conclusões a partir de uma única característica. Esse pré-julgamento é natural, fazemos isso com tudo o que nos rodeia (pessoas, lugares, músicas).

Blog da Iara: Aquela frase “a primeira impressão é a que fica”, é verdadeira?

Dália: As primeiras impressões demoram cerca de 6 segundos ou até menos, avaliamos de forma inconsciente se a pessoa é atraente, confiável, amigável e o nível social. E, se temos uma impressão positiva temos tendência a atribuir ainda mais qualidades (que talvez a pessoa nem tenha), o chamado efeito halo.

Blog da Iara: O que é o efeito halo???

Dália: É uma teoria desenvolvida durante a primeira Guerra Mundial e que voltou a ser estudada na década de 70. O cérebro do ser humano funciona com padrões pré-existentes e por isso acaba sendo tendencioso ao captar as características do indivíduo e conferir uma impressão geral. Consideramos as pessoas mais bonitas ou arrumadas, mais habilidosas e de confiança e vice-versa, fazemos isso inconscientemente.

Blog da Iara: Só com a roupa e a maneira de se vestir é possível identificar a personalidade da pessoa?

Dália: A forma como nos vestimos comunica. Dá para interpretar se a pessoa é mais séria ou mais despojada, mais tímida ou mais extrovertida.

Blog da Iara: É por isso que algumas empresas, preocupadas com a imagem empresarial, determinam a roupa que o colaborador deve usar?

Dália: Nesse caso, normalmente, é para que a imagem dos colaboradores seja consistente com a mensagem que a empresa quer passar.

Blog da Iara: Roupas muito curtas e decotadas podem causar uma má impressão ?

Dália: Este assunto é bem delicado e tem opiniões diversas. Contudo não podemos esquecer nunca de um detalhe: a nossa imagem depende muito do olhar do outro, do gosto pessoal dele. O que eu acho lindo, uns gostam, outros nem tanto e outros detestam. Infelizmente, não podemos esquecer que vivemos em sociedade.

Blog da Iara: Eu posso mudar a forma como as pessoas me veem? A imagem que eu passo pode ser modificada?

Dália: Aqui entra a autoimagem, a imagem percebida e a imagem projetada. A autoimagem é como eu acho que sou, minhas qualidades e defeitos, a imagem percebida é o que os outros pensam de mim e a imagem projetada é o que eu posso modificar para mostrar ao mundo.

Blog da Iara: Qual a dica para não errar e, principalmente, não ser mal interpretada?

Dália: Que pergunta ótima, principalmente nos dias de hoje que todo o mundo se mostra nas redes sociais. Ter estilo não tem nada a ver com ter dinheiro, com moda ou com um corpo invejável. O importante é olharmos para nós próprios com honestidade, percebermos quem somos e aprender a transmiti-lo com elegância e segurança quando interagimos com os outros. Tem pessoas que são excêntricas e ficam fantásticas, mas na dúvida, todos ficamos favorecidos se optarmos por um estilo mais temperado, menos extremista, com simplicidade e bom senso.

A nossa imagem pessoal afeta as nossas relações no trabalho (não estar adequado prejudica nossos relacionamentos e credibilidade profissional) e interpessoais (baixa auto-estima).

 

2 Comentários

  1. Nossa amei esse Artigo, e fico muito
    Feliz em saber que estou no caminho certo, a imagem pessoal é tudo né…. nosso cartão de entrada.
    Muito obrigada pela dicas.
    Bom mesmo é procurar não errar, e está sempre ligada nas dicas….
    Amei mesmo!!!
    Obrigada!!!

     

Deixe uma resposta para Iara Bednarczuk Cancelar resposta

Seu e-mail não será exposto aos visitantes deste site.


*