Uma trilha em Campos Novos

A rota de Campos Novos é um desafio difícil. Uma trilha que requer resistência, atenção e paciência. Mas, depois de todo o esforço físico vem a recompensa. E que recompensa!

A serra onde estão as cachoeiras, fica em uma vicinal na região de Campos Novos, no município de Iracema. Segundo o guia, existem mais de 15 cachoeiras catalogadas, mas nem todas estão abertas para visitação, pois ficam em propriedades privadas. A trilha de “Campos Novos” só é possível porque o seu Davi resolveu abrir a porteira para o turismo de aventura e o lugar é incrível. Vale a pena conhecer.

A viagem é longa e inicia em Boa Vista às 4h. São aproximadamente 130km até a propriedade. Deixamos o carro e começamos a caminhada por volta das 9h30. O percurso total da trilha subindo e descendo (incluindo as paradas nas cachoeiras), dura em média 7  horas. Um percurso que deve ser feito com calma e atenção. As cachoeiras que visitamos foram: tobogã em S, peteca, gêmeas, liberdade, (os nomes foram dados pelos próprios guias) e a cachoeira mais famosa “vida boa”, essa quem batizou foi o seu Davi.

Suely Bezerra faz trilhas para encarrar novos desafios, revigorar as energias e fazer novas amizades. Trilheira desde 2003, ela considerou Campos Novos um trajeto difícil e com muitos obstáculos. “Sempre vou achando que vai ser moleza. Mas, durante o percurso chego a ficar com medo. Minha estratégia é cantar e gritar. Assim, extravaso o medo e o cansaço”.

A trilha não é fácil, mas a beleza é extraordinária. Cada detalhe, até os obstáculos encantam. Para quem gosta de aventura vale a pena, pois é uma paz muito grande. Minha dica para os aventureiros é prestar bem a atenção onde pisa e tomar muito cuidado para não cair nas pedras”, complementa Suely.

Depois de 10 anos sem fazer trilha, Campos Novos foi o desafio de uma peruana de sangue e brasileira de coração. A médica veterinária Silvana Acosta encarou o desafio e os obstáculos. “Tenho medo de altura e isso foi uma superação de limites. Em alguns momentos quase entrei em pânico, mas o contato com a natureza e a vontade de terminar a trilha foram importantes para eu conseguir”.

A parada nas cachoeiras e 0 banho gelado são importantes para revigorar a energia e colocar gás para continuar o percurso. O lugar é fantástico e vale a pena conhecer”, finaliza Silvana.

Lembra quando falei que essa é uma trilha que requer resistência, atenção e paciência. Resistência para aguentar o esforço físico. Atenção, pois cada passo é importante e uma queda pode acabar com o passeio. Paciência, porque na trilha em grupo você deve respeitar os limites de cada um. Nem todas as pessoas têm preparo físico ou uma boa resistência para essa aventura.   

A dica do Blog da Iara é levar bastante água. Garrafas pequenas congeladas dentro da mochila fazem toda a diferença durante a caminhada. E frutas e alimentos para beliscar durante a trilha. Por que é normal sentir uma fome danada!

 

 

ESPAÇO DE PERGUNTAS E COMENTÁRIOS

Escreva aqui a sua pergunta ou comentário.

Seu e-mail não será exposto aos visitantes deste site.


*